Sobre nós

Nós somos a Cinema Cego, uma startup que tem o propósito de democratizar ao acesso à educação, cultura e mercado de consumo às pessoas com deficiência visual (cegos e baixa visão).

Nosso trabalho é focado em soluções de acessibilidade audiovisual que utiliza o recurso de Audiodescrição 2.0 para fomentar a inclusão social de pessoas com deficiência visual.

Nosso interesse pela Audiodescrição teve início a partir dos estudos de uma tese de doutorado na Universidade de Brasília (UNB). Com a evolução da pesquisa, intensificamos nossas relações com o universo das pessoas que não enxergam. Aprendemos que, assim como nós (que enxergamos) as pessoas cegas também gostam de sair e fazer amigos, ver um filminho (sim, cegos também gostam de filmes) curtir um show, sair para jantar, escolher o que vai comer e beber (com autonomia) e ao final da noite, pedir o seu uber pra voltar pra casa, como todos nós fazemos.  Tudo muito simples, né? Pra nós, que enxergamos, sim! Mas você já parou pra pensar como é que a pessoa cega assiste a um filme, lê um livro, escolhe o que vai comer no cardápio do restaurante ou um pacote de biscoito no armário? Foi justamente na busca por essa resposta que entendemos, qual era o nosso lugar no mundo e qual era o nosso propósito. 

Desde então todas as nossas ações tem sido com o objetivo de incluir as pessoas cegas nos espaços sociais e no mercado de consumo.

Nessa busca, criamos o conceito da AD 2.0 e AD DAS COISAS. Assim como existe a Internet das Coisas, nós criamos o conceito de Audiodescrição das Coisas. A ideia é que todo produto de consumo pode ter um QR Code que, ao ser lido pelo smartphone, disponibilize informações úteis e obrigatórias como: nome do produto, para que ele serve, lista de ingredientes, como se usa ou cuidados na utilização, por exemplo. Possibilitando, dessa forma, que pessoas cegas, com baixa visão, idosos e disléxicos tenham mais autonomia para escolher, com segurança, os produtos que consome em sua vida cotidiana.

A ideia de que audiodescrição é um conceito reservado às artes audiovisuais já foi ultrapassada. Em qualquer situação em que um elemento visual comunique algo, a AD pode ser utilizada. A embalagem de um produto diz o que ele é e para que serve, certo? A pessoa cega também precisa saber disso. E a AD das Coisas vem para preencher essa lacuna.

Participe desse movimento de inclusão conosco. Seja você também um agente de transformação!