Publicado em Deixe um comentário

Contação de História com Audiodescrição

A contação de histórias é encantadora para crianças e adultos. Faz parte da rotina escolar, principalmente na educação infantil. Através da história é possível viajar no mundo da fantasia e ampliar a visão de mundo.

Na escola, as histórias infantis são utilizadas como recursos pedagógicos. Esse momento de contação de histórias é essencial para o letramento, pois permite a discussão de valores, regras sociais e formação de sujeitos críticos e reflexivos.

Ao ouvir histórias, as crianças transportam-se para o reino do faz de conta, encontram-se com os personagens, entram nos cenários onde as histórias se passam, percebem detalhes e encantam-se pelo colorido das páginas dos livros. Elas querem ver, querem ouvir e tocar os livros, sentir a história contada. Transformando este, em um momento mágico, encantador e envolvente.

Observe as páginas de um livro de histórias infantis e responda: somente o texto escrito é capaz de transmitir toda a riqueza de detalhes sobre os personagens, o cenário onde se passam as histórias e as cores exuberantes presentes nas ilustrações? Certamente que não. E é nesse espaço em que a audiodescrição mais pode contribuir. As ilustrações dos livros são criadas para complementar o texto escrito. Todas as cores e nuances foram cuidadosamente selecionadas para levar encantamento. Descrever as imagens das histórias enriquece a narrativa e prende mais a atenção e contribui para a ampliação do vocabulário de todos os alunos, promovendo a acessibilidade para os alunos que têm deficiência visual (cegueira ou baixa visão).

Essa verbalização descritiva dos detalhes que compõem a narrativa possibilita que as crianças com deficiência visual construam as imagens mentais e “visualizem” todos os elementos que fazem parte da história. Certamente será um importante diferencial que envolverá ainda mais as crianças nesse momento mágico. Abrindo portas para ampliar o conhecimento de mundo das crianças que não enxergam.

Como as crianças tem um período de atenção um pouco reduzido, não há necessidade de realizar descrições muito longas e complexas. É importante avaliar quais elementos merecem ser destacados em cada história, para que esse momento seja rico de emoções e possibilite um mergulho agradável no universo da história contada.

Imagem de um professora sentada em roda entre 4 alunos. Ela lê um livro de histórias e as crianças a observam atentamente.

Para fazer a AD durante uma contação de histórias em sala de aula é necessário preparar um roteiro escrito com antecedência para detalhar os pontos que serão ressaltados e trazidos à luz. Pode-se começar descrevendo o livro e a forma como ele está organizado, os detalhes da capa, as cores predominantes, o autor, ilustrador e todas as informações que mereçam destaque em uma história infantil.

É possível também fazer a gravação da história audiodescrita e gerar um QRCode para que os alunos possam escutar a história em qualquer outro lugar. Bastando, para isso, fazer a leitura do código com o celular conectado a internet.

Confira abaixo a fofura que conseguimos fazer sem nenhum recurso extraordinário. Convidamos apenas uma jovem colega para gravar as falas.

Note que este é um livro para crianças pequenas. Fomos seletivos nos elementos que incluímos na audiodescrição para não sobrecarregar a narrativa com excesso de informação. Dessa forma, pulverizamos as descrições dentro da própria história para não deixá-la em um momento separado. Nosso objetivo foi utilizar linguagem divertida para manter as crianças interessadas e envolvidas na história, descrevendo os detalhes visuais das ilustrações junto com a história contada.

Este livro foi um piloto que fizemos para apresentar às crianças de uma escola de ensino especial para deficientes visuais. No dia da entrega, estávamos um pouco tensos no momento de apresentar essa história para as crianças. Não sabíamos como elas receberiam o trabalho. Mas para nossa feliz surpresa, todas adoraram, acharam as vozes da nossa amiga Bianca muito divertidas e pediram bis. Ao final, pedimos que elas recontassem a história, fizemos perguntas sobre os personagens e todos participaram muito ativamente da atividade. Foi um momento muito divertido e que aqueceu muito os nossos corações.

Como você pode ver, foi um trabalho simples, muito fácil de produzir.

Experimente você também e volte aqui pra contar pra gente como foi a experiência.

Se precisar de ajuda, conte conosco! 😉